Terapia Floral

A Importância da Saúde Emocional”

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define saúde como:

o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não simplesmente a ausência de doença ou enfermidade”

Em 1930 nasce a Terapia Floral na Inglaterra, Qualidades das Flores que entram em ressonância com nossas qualidades nos mantendo equilibrados, Dr. Edward Bach médico infectologista detecta que seus pacientes com o mesmo diagnostico clínico evoluíam de forma diferente a medicação. Observou Dr. Bach que a melhora ou a piora dos pacientes estavam diretamente ligadas a situação emocional deles.

Dr. Bach buscou na sabedoria da natureza, plantas (Flores) através de suas qualidades (como estão posicionados na natureza) uma forma para tratar e equilibrar o sistema emocional.

O objetivo da Terapia Floral é poder levar ao individuo “qualidades” de forma sutil, delicada e elegante, para com que o mesmo torne-se equilibrado com uma terapia totalmente natural.

A Terapia Floral não possui nenhum tipo de contra indicação, pessoas que estão em tratamentos médicos tradicionais ou alternativos, crianças, grávidas, idosos, jovens, adultos todos podem usufruir das qualidades das flores buscando o equilíbrio emocional. Afinal as flores estão presentes em muitos momentos de nossas vidas.

Questões que podem ser elaboradas com a Terapia Floral: Abandono, Aceitação, Angustia, Ansiedade, Aprendizado, Carência Afetiva, Desânimo, Direção na Vida, Esgotamento Nervoso, Medo, Fobia, Mágoa, Melancolia, Memória, Mentira, Mudanças, Narcisismo, Negatividade, Nervosismo, Neuroses, Ódio, Opressão, Rejeição, Stress, Sexualidade, Timidez, Traição, Vergonha, Transtorno Obsessivo, Raiva entre muitas outras emoções e sentimentos que necessitam de um olhar direcionado, esse é o grande diferencial da Terapia Floral, elaborar sentimentos que estão na polaridade negativa (ou desequilíbrio) onde faz com que o ser humano sofra e deixe de viver a vida com integralidade e Felicidade.

Todos nós viemos ao mundo para sermos felizes e fazermos pessoas felizes.”

 
[ 1 ]