Estresse no Trabalho

SINDROME DE BURNOUT OU SINDROME DO ESGOTAMENTO PROFISSIONAL

O problema foi identificado pela primeira vez, em 1974, nos Estados Unidos, pelo pesquisador Herbert Freunderberger, a partir da observação de desgaste no humor e na motivação de profissionais de saúde com os quais trabalhava. A síndrome de burnout caracteriza-se em um tipo de estresse ocupacional, durante o qual a pessoa consome-se física, mentalmente e emocionalmente, resultando em exaustão e em um comportamento agressivo, irritadiço, hostil, ansiedade, depressão, conflitos no trabalho, desejo de isolamento, apatia, desmotivação, redução da qualidade no trabalho, e consequente aumento do consumo do cigarro, álcool e tranquilizantes. “A diferença está no acréscimo da desumanizarão, que se mostra por atitudes negativas e grosseiras em relação às pessoas envolvidas com o ambiente de trabalho, que por vezes se estende também aos familiares”, a doença atinge pessoas sem antecedentes psicopatológicos. A Terapia Floral como pratica complementar é uma das formas de tratar a questão, pois, além da escuta terapêutica, a prescrição das essências florais trata o âmago da questão, que são: a forma de pensamento, o emocional, o comportamento, as atitudes da pessoa, restabelecendo a integridade do indivíduo, tratando o estresse, a depressão, a impaciência, a irritação, o descontrole, o cansaço, restabelecendo as forças de auto cura de forma suave e simples.